Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

11/12/2011
Ser otimista faz bem à saúde!

Muito certo estava o rei Roberto Carlos ao cantar: “O importante é que emoções eu vivi.” Depois de décadas apostando que a tecnologia era a chave para a cura de males do corpo, a ciência pisa no freio e começa a comprovar que as emoções e os sentimentos estão diretamente ligados à saúde. Nos Estados Unidos, berço de algumas das mais importantes pesquisas médicas, a comunidade científica está convencida de que o estado de espírito conta pontos valiosos para o tratamento de pacientes. Hoje os médicos daqui respeitam a relação entre o emocional e o físico. Há muito tempo há indícios de que ela existe, mas agora temos as provas que faltavam.

Algumas pesquisas feitas com idosos reforçam o coro. Uma delas mostra que a esperança é fundamental para se ter uma vida mais longa. Uma universidade americana apresentou recentemente um estudo realizado com freiras que durou 15 anos. Ele aponta que as irmãs que tiveram pensamento positivo desde cedo foram menos acometidas pelo mal de Alzheimer e também viveram mais. A teoria dos pesquisadores é de que sentimentos negativos como tristeza, ansiedade e ódio têm efeito cumulativo no organismo, podendo causar, com o passar dos anos, problemas sérios de saúde. Os pesquisadores afirmam que pessoas que têm emoções negativas muitas vezes ao dia estão prejudicando a si mesmas e entrando para o time dos mais propensos a problema no coração. Outra pesquisa, realizada no Texas, vai levar muitos velhinhos a repensar seu modo de vida. Foram entrevistados 800 idosos para saber quantos tinham esperança em relação ao futuro. Entre três e sete anos depois, verificou-se que 29% dos desesperançados tinham morrido, enquanto apenas 11% dos que afirmaram ter esperança morreram. Mas o próprio coordenador da pesquisa, um psiquiatra, admite que é impossível simplesmente receitar otimismo e felicidade para as pessoas no fim da vida. Para alguns, o sentimento pode ser natural. Para quem não é assim, ter consciência de que a esperança é algo que faz diferença na saúde já é um bom começo.

Otimismo

Mas não é só para aumentar a longevidade que as emoções funcionam como ingrediente especial. Um estudo publicado em junho no Canadá fez uma revisão de artigos científicos publicados entre 1966 e 1998 e revelou que há relação entre expectativa positiva e resultados bem-sucedidos de tratamentos de doenças graves. Para os pesquisadores canadenses, o otimismo é fundamental para driblar os males do corpo. Constatamos que ter pensamento positivo e acreditar na cura esteve relacionado com recuperação mais rápida, menos necessidade de remédio para dor após cirurgias, menos febre, melhor recuperação do peso e volta mais rápida ao trabalho.





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas