Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

12/02/2012
PESQUISAS INDICAM QUE O CIGARRO ACELERA O ENVELHECIMENTO CUTÂNEO TANTO QUANTO A EXPOSIÇÃO SOLAR

O cigarro afeta a saúde de diversas maneiras, sendo o principal fator de risco para doenças, como: câncer de pulmão, bronquite e enfisema pulmonar. Além disso, estudos indicam que as substâncias contidas no cigarro podem provocar o papiloma vírus (HPV), facilitando a sua proliferação e, com isso, proporcionando um risco aumentado de desenvolvimento de câncer de ânus, vulva e pênis.

No Congresso de Verão da Academia Americana de Dermatologia houve uma sessão em que se discutiu extensamente o papel do tabagismo no envelhecimento cutâneo. Trabalhos científicos realizados, sobretudo em gêmeos fumantes e não fumantes, identificaram o cigarro como um fator determinante do envelhecimento da pele e independente da exposição solar. Por envelhecimento cutâneo entenda-se surgimento de rugas (principalmente ao redor da boca e dos olhos) e flacidez cutânea. Há combinação desses efeitos com aqueles causados pela exposição solar e também com o envelhecimento natural, torna a situação ainda pior com o passar dos anos.

“Na pele dos fumantes, a produção das fibras que dão firmeza à pele - colágeno e elastina é diminuída. Além disso, há um aumento das enzimas que digerem a substância que dá sustentação às células, levando também à degradação das fibras citadas anteriormente”, explica a dermatologista Tatiana Villas Boas Gabbi.

O cigarro, ainda, promove uma diminuição dos níveis de antioxidantes no sangue e estimula a liberação de íons superóxidos pelas células de defesa, os leucócitos. Tudo isso favorece o surgimento de lesões celulares que podem se tornar irreversíveis, causando uma aceleração importante do envelhecimento natural da pele.

Os tratamentos oferecidos minimizam o problema, mas não acabam com eles. A atuação do dermatologista é fundamental tanto na conscientização da população de mais esse efeito maléfico do cigarro, como no sentido de tentar reparar os danos já presentes. Cabe também ao dermatologista identificar precocemente a presença de câncer de pele nos tabagistas, uma vez que há maior risco para o desenvolvimento do câncer de pele nesses pacientes.

Serviço:
www.zahra.com.br

Veja mais sobre o assunto em nossa coluna de:
Cirurgia Plástica e Beleza, com Dr. Alan Landecker
Pele Saudável com Dra. Katia Volpi Fogolin
Beleza e Estetica com Orlando Sanches






Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas