Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

08/04/2012
Distúrbios do sono elevam o risco de hipertensão

Após um dia exaustivo, nada melhor do que uma boa noite de sono para recuperar as energias. Quando o corpo não consegue descansar durante a noite ou mal chega ao estágio do sono profundo é hora de procurar um especialista. “O sono é imprescindível para a saúde de todas as pessoas, não importa a idade. O ronco é o primeiro sinal que indica a presença de distúrbios do sono. Apesar de ser considerado normal por muitos indivíduos, o ronco é o sintoma mais conhecido e evidenciador das doenças do sono”, destaca Gerson Köhler, ortodontista e ortopedista facial da Köhler Ortofacial.

Os distúrbios do sono aumentam o risco do surgimento de várias doenças, como a obesidade, problemas cardiovasculares, dificuldades de concentração e fadiga crônica. Sem contar que no caso da apneia obstrutiva do sono, distúrbio caracterizado pela interrupção da respiração durante o sono, ocorre uma redução na oxigenação do cérebro. “A apneia pode levar o indivíduo à morte se não for tratada a tempo. Depressão, ansiedade e impotência sexual são outros sintomas que o paciente pode apresentar”, observa Gerson, que atua de maneira interdisciplinar em casos de distúrbios do sono.

Sudorese excessiva durante a noite, dores de cabeça pela manhã, redução da libido, problemas de memória e sonolência diurna também são causados pela apneia. A fragmentação do sono impede a sua progressão para as fases mais profundas, que garantem o descanso e o desenvolvimento do corpo. “A respiração cessa por alguns segundos e a cada hora de sono ocorrem pelo menos cinco episódios de apneia. Em algumas situações a entrada do ar não é interrompida completamente, mas seu fluxo é reduzido de 30% a 50%. É o que chamamos de hipopnéia”, esclarece.

Pessoas com apneia, podem ter pressão alta

Um estudo britânico, da Universidade de Birmingham e que foi publicado na revista Hypertension, da American Heart Association, aponta que os apnéicos sofrem alterações funcionais nos vasos sanguíneos semelhantes as que ocorrem nos hipertensos. Os pesquisadores estimam que 40% das pessoas com pressão alta apresentam apneia obstrutiva do sono. “Devido à interrupção da respiração o organismo libera adrenalina, como uma reação de defesa, e os vasos são contraídos. Como o sangue precisa continuar circulando, mesmo em vias estreitas, a pressão aumenta”, explica.

A Sociedade Brasileira de Hipertensão afirma que é comum quem sofre com apneia ter hipertensão e a situação contrária também acontece com frequência. Gerson alerta que nenhum dos dois problemas devem ser ignorados. “Os pacientes com apneia devem fazer um acompanhamento da pressão arterial e se necessário usar os medicamentos prescritos pelo médico, pois há o risco das artérias endurecerem, assim como no caso dos hipertensos. O endurecimento dos vasos sanguíneos favorece as doenças cardiovasculares”, observa o especialista.

As patologias que prejudicam a qualidade e quantidade de sono podem ser agravadas com a obesidade, o crescimento exagerado das amígdalas e da adenoide e a estrutura dos ossos da face. Pessoas com queixo e mandíbula pequenos são mais propensos a desenvolver distúrbios do sono. “A polissonografia é um exame usado no diagnóstico. Ele testa vários parâmetros do corpo durante o sono, como os batimentos cardíacos, os potenciais elétricos da atividade cerebral, a saturação de oxigênio no sangue e o esforço respiratório”, aponta Juarez Köhler, especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial da Köhler Ortofacial.

Os distúrbios do sono não surgem de forma súbita, eles se instalam aos poucos e se intensificam com o passar do tempo. Juarez ressalta que além do diagnóstico correto é fundamental que o tratamento seja adequado e realizado em parceria com especialistas de várias áreas da saúde. “A Odontologia dos Distúrbios Respiratórios do Sono, associada à Medicina do Sono, trouxe muitos avanços na identificação dos distúrbios e também no tratamento, como o uso de aparelhos intrabucais durante a noite que redimensionam as condições - na orofaringe - para a passagem do fluxo de ar em direção aos pulmões”, acrescenta.

Serviço:
www.kohlerortofacial.com.br





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas