Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

19/07/2012
11 fatores de risco para a osteoporose

Embora a osteoporose, para alguns, “possa parecer uma doença que só acomete idosos”, na verdade, ela é o produto final de um processo longo e gradual que afeta todos os adultos a partir do final da adolescência. “É preciso saber que atingimos o nosso pico de massa óssea entre os 20-25 anos. Depois, em algum momento entre os 30-40 anos - dependendo da dieta, dos exercícios e de outros fatores que mantêm os ossos fortes - começamos a perder massa óssea”, explica o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti.

A seguir, o médico relaciona 11 fatores de risco comuns para a osteoporose. “Se você se encaixar em dois ou mais destes critérios, converse com seu médico sobre o assunto. Veja se não é hora de fazer uma densitometria óssea, pois a osteoporose é uma doença onde as medidas preventivas fazem muita diferença”, alerta o médico, que também é o organizador da V Caminhada de Combate à Osteoporose, evento que acontece em outubro, na Mooca, na cidade de São Paulo.

01) Você sofre de algum um distúrbio alimentar?

A anorexia é uma das maiores bandeiras vermelhas para a osteoporose. “Isso porque quando o peso do corpo da mulher cai muito, seus níveis hormonais são reduzidos, o que geralmente provoca a suspensão da menstruação. Tudo o que diminui os níveis de estrogênio interfere com a construção óssea", explica Sergio Lanzotti.

02) Você tem um parente de primeiro ou segundo grau que desenvolveu osteoporose antes da idade de 50 anos ou antes da menopausa?

A história familiar é um importante fator de risco para a saúde óssea. “Se você vem de uma família onde os adultos e os idosos têm histórias de fraturas, má postura, perda de altura ou problemas similares, informe isto ao seu médico”, recomenda o diretor do Iredo.

03) Você fuma?

“Estatisticamente, o tabagismo tem uma alta correlação com a osteoporose, embora os especialistas ainda não tenham explicado exatamente como este processo se dá, fumar é um dos piores fatores de estilo de vida para a osteoporose”, informa o organizador da V Caminhada de Combate à Osteoporose .

04) Você bebe mais do que duas doses de bebidas alcoólicas por dia? Ou três, se você for homem?

O álcool é um “enfraquecedor dos ossos”: ele rouba cálcio, magnésio e outros minerais dos ossos. Quanto mais você bebe, mais provavelmente este processo esteja acontecendo. “As mulheres são mais vulneráveis a este tipo de perda óssea do que os homens, talvez porque elas sejam mais vulneráveis aos efeitos do álcool, de uma maneira geral”, diz o reumatologista.

05) Você já teve uma ou mais fraturas, principalmente fraturas que devido à sua causa parecem piores do que você esperaria?

Uma das maneiras mais comuns das pessoas descobrirem que têm osteoporose é quando uma queda comum leva a uma lesão que é mais grave do que o que era esperado. “Seus ossos devem ser fortes o suficiente para aguentar algum tipo de impacto. Qualquer adulto que teve mais de uma fratura ou uma fratura que pareça surpreendentemente grave, em relação à sua causa, deve fazer uma densitometria óssea”, observa Sergio Lanzotti.

06) Você toma corticoides, prednisona, antidepressivos ou algum um hormônio para a tireoide?

Tomar medicamentos à base de cortisona durante um longo período de tempo interfere com os seus níveis hormonais, deixando seus ossos propensos à perda óssea. “Este é particularmente o caso das mulheres, que são mais propensas a ter doenças autoimunes. É preciso saber que níveis de estrógeno normais são necessários para manter os ossos saudáveis”, explica o diretor do Iredo. É preciso ficar atento também ao grupo de antidepressivos chamados SSRIs, que também têm sido associados a uma maior incidência de osteoporose. Tomar hormônio tireoidiano também pode causar perda óssea.

07) Você tem doença de Crohn, lúpus, artrite reumatoide ou outra condição autoimune?

Os especialistas sabem que as pessoas que têm doenças autoimunes têm osteoporose em uma taxa muito superior à média. “Isto se dá principalmente devido aos medicamentos empregados para tratar a doença autoimune: os corticosteroides”, destaca o médico.

08) Você tem mais de 50 anos?

A idade em si é um fator de risco para a osteoporose. “A doença é muito comum em homens acima de 50 anos e em mulheres que entraram na menopausa. Na verdade, um homem acima de 50 anos é mais propenso a quebrar um osso devido à osteoporose do que ter câncer de próstata. No entanto, por causa das mudanças na dieta e no estilo de vida, a osteoporose e sua precursora, a osteopenia, são cada vez mais comuns entre as pessoas de trinta e quarenta anos”, informa o organizador da V Caminhada de Combate à Osteoporose .

09) Você é mulher?

As mulheres apresentam em risco maior para desenvolver osteoporose. Segundo a National Osteoporosis Foundation, 80% dos 10 milhões de americanos com osteoporose são mulheres. No Brasil, nas mulheres com mais de 45, o número de dias passados em hospitais por causa da fratura por osteoporose é superior ao induzido por doenças como diabetes e infarto do miocárdio. “As mulheres precisam ser vigilantes durante toda a vida: seu período menstrual é irregular ou pouco frequente? Períodos menstruais irregulares são geralmente causados por baixos níveis do hormônio estrogênio, o que contribui diretamente para a perda óssea. Há muitas razões para as mulheres apresentarem baixas em seus níveis de estrogênio: excesso de exercícios, transtornos alimentares e a Síndrome dos Ovários Policísticos são algumas das mais comuns. É preciso estar atenta a tudo isto”, alerta o reumatologista Sergio Lanzotti.

10) Você é magrinho e baixinho?

Essa é uma questão de lógica básica: se os seus ossos são pequenos você precisa ser particularmente vigilante. “Isso não significa que as pessoas com mais peso ou com ossos grandes não tenham osteoporose, apenas que as pessoas que são magras e têm ossos menores sofrem mais com o impacto da gravidade nos ossos”, informa o médico.

11) Você toma leite?

As escolhas alimentares que fazemos, como, por exemplo, tomar um copo de leite ou uma lata de refrigerante no café da manhã, pode ter um efeito muito maior sobre a saúde óssea do que a maioria das pessoas imagina. “Não é apenas o cálcio do leite que é essencial ao organismo. A vitamina D também é fundamental para a saúde óssea. E o leite, enriquecido com vitamina D, é uma das poucas fontes dietéticas deste importante nutriente”, observa o reumatologista.

SERVIÇO:

V CAMINHADA DE COMBATE À OSTEOPOROSE


Data: 21 de outubro de 2012

Local: Mooca Plaza Shopping, Rua Capitão Pacheco e Chaves 313 - Mooca - São Paulo

Horário: 08:00 às 11:00

Limite de inscrições (gratuitas): 1.000

Inscrições e mais informações: http://www.caminhadaosteoporose.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/VCaminhadaDeCombateAOsteoporose






Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas