Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

28/08/2012
Dicas para Superar os Vícios do Cotidiano

Você é viciada em comprar roupa, sapato ou qualquer objeto que chame a sua atenção? Você não consegue se controlar quando o assunto é comida? Você trabalha mais do que deveria? Fique atenta, os psicólogos alertam para casos de distúrbio psicológico ligados a rotina do dia a dia.

Compras, trabalho e comida são um dos vícios mais comuns e muitas vezes acabam passando despercebidos na vida de uma pessoa. O vício pode se tornar tão presente e destrutivo para saúde, em que alguns casos ele pode evoluir e chegar ao estágio da abstinência.

De acordo com a psicóloga da Clínica de Especialidades Integrada, Marcella Almeida, não existe um sinal característico do vício, é necessário fazer uma avaliação com o médico. “O vício pode causar a síndrome de abstinência, com isso a dependência cresce até a pessoa perder o controle e o interesse por tudo. Estes sinais servem de alerta e indicam que pessoa possa estar entrando num estágio de compulsão. A melhor maneira de lidar com esses sintomas é por meio de um acompanhamento médico.”, explicou à psicóloga.

No caso do vício alimentar, os psicólogos enfatizam na teoria que o distúrbio alimentar pode estar ligado a recordações de infância. As pessoas descontam suas frustrações e buscam conforto na comida, pois desde muito cedo se estabeleceu uma ligação de segurança com a alimentação.

Alguns dos sintomas dessa doença podem ser percebidos quando a pessoa come quando não está com fome ou sente o cheiro das comidas preferidas em filmes e livros. Podendo chegar ao estado mais agravante, a obsessão pelo o peso gera o desenvolvimento de distúrbios alimentares como: anorexia e bulimia. A melhor forma de controlar esses estágios é por meio de terapia. Ajuda desses profissionais podem aumentar as chances de recuperação.

Workaholic, você pertence a esse grupo? Workaholic significa work – trabalho, alco holic – viciado em trabalho. Eles são conhecidos por serem dependentes do trabalho. O motivo por dedicar tempo ao trabalho pode ser denominado de ansiolítico natural, é uma forma de alimentar o ego e preencher o vazio da vida pessoal.

“Esse fato ocorre por causa das exigências laborais. E tratando-se de um sujeito vulnerável a esse tipo de dependência, a pressão do mercado de trabalho favorece a esse tipo de compulsão. Trabalhar mais de 12 horas, dedicar o fim de semana ao trabalho sem tirar um dia para o lazer e a fixação por só trabalhar apresentam o perfil de um workaholic”, salientou a psicóloga, Marcella de Almeida.

O workaholic não consegue relaxar, é constante a sua preocupação com o trabalho, seu maior problema é a falta de clareza entre o limite do prazer e o caminho da autodestruição. Caso você apresente esses sintomas os médicos recomendam que seja necessário fazer uma pausa para uma autoanálise. Avaliando o modo de se relacionar consigo e com as pessoas, a forma de resolver seus problemas afetivos e como tem se dedicado ao trabalho. O trabalho pode ser muito gratificante e enriquecedor, mas não deve ser uma prioridade constante.

Além dos, workaholic outro vício que vem se destacando na sociedade, são os compradores compulsivos. Cerca de 6% das mulheres e 5,5% dos homens são consumidores compulsivos. A maioria das pessoas que sofrem dessa doença só percebe o vício quando estão endividados. Uma pessoa pode passar anos gastando compulsivamente e adquirindo dívidas de até dez vezes maiores que a sua renda mensal.

Segundo a psicóloga, a diferença entre quem simplesmente compra de quem tem o transtorno está na grande inquietação quando não pode comprar.

“O comprador compulsivo tem algumas características, ele apresenta arrependimento, mente, esconde, muitas vezes deixa a mercadoria na loja e passa para pegar depois. Além disso, muitas vezes se arrepende assim que sai da loja”, ressaltou.

Consumidor compulsivo, como lidar?

Procure um tratamento psicológico para buscar as raízes do problema, não tente preencher a sensação de vazio interior com produtos materiais.

Tente não ceder aos estímulos oferecidos pelos comerciais, fique atento aos atos em excesso e tente analisar o motivo da sua aquisição. Saber distinguir o supérfluo do que é que realmente necessário pode ser o primeiro passo para dominar a doença.

Conheça algumas dicas para driblar o vício pelas compras, trabalho e por comida:

Compras na medida certa


Esqueça o cartão de crédito e os talões de cheque em casa e só leve o dinheiro necessário para as refeições. Controle e disciplina são umas das chaves para se livrar das compras compulsivas. Faça exercícios e dedique-se a outras atividades anteriores que lhe davam prazer como dança, teatro, cinema. Invista o seu tempo conhecendo instituições de caridades, elas podem ser uma alternativa gratificante e que aumentará a autoestima.

Expediente controlado

Estipule o horário de saída diária do trabalho e quando chegar o fim do expediente, saia! Não volte a ler email ou faça qualquer atividade ligada ao trabalho.

Faça exercícios físicos, planeje o seu fim de semana com amigos, tente dormir bem e não pensar em trabalho. Parece impossível, mas se você tiver disciplina e cumprir com suas obrigações na medida certa aos poucos você irá conseguir se libertar desse vício.

Comida equilibrada

O vício por comida pode apresentar futuramente um quadro mais grave como a obesidade, diabetes e distúrbio alimentares.

Faça refeições menores e balanceadas. Exercite-se, o exercício ajuda o seu corpo a ficar em forma e substitui o sentimento de satisfação.


Serviço:
www.especialidadesintegrada.com.br





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas