Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

10/06/2013
Doenças Sexualmente Transmissíveis, aproveite o Dia dos Namorados para se proteger!

Quando algo não vai com o seu corpo, ele é bem claro nos sinais que costuma enviar. Assim, para evitar ou tratar problemas de saúde antes que eles se desenvolvam, a dica é prestar atenção no seu organismo, tentando perceber o que ele está querendo "dizer" nas "conversas" diárias que tem com você. Em alguns casos, estes sintomas - dores, nódulos, desconforto, coceira - podem indicar que algo não vai bem e, mais especificamente, podem indicar a presença de doenças sexualmente transmissíveis.



Qualquer alteração, por menor que seja, pode indicar que algo não vai bem. Se notar algum sintoma ginecológico fora do normal, faça uma consulta com seu ginecologista imediatamente.

Você pode estar com algumas infecções de fácil tratamento ou, às vezes, pode ser algo mais sério. O quanto antes diagnosticar o problema, melhor será para você.

No próximo dia 12 de junho comemoramos o Dia dos Namorados e, para celebrar esta data tão especial, o ginecologista e obstetra defensor do parto humanizado, Alberto Jorge Guimarães, preparou algumas dicas para prevenir as doenças sexualmente transmissíveis e planejar a gravidez.

De acordo com o Dr. Alberto, o número de mulheres que engravidam sem estar preparadas para ter um filho é muito grande. “Infelizmente, as mulheres passam por essa situação após uma relação sem proteção e acabam mudando suas vidas para sempre. Para que não aconteça uma gravidez indesejada, é importante se prevenir com contraceptivos, como a pílula anticoncepcional, preservativos masculino ou feminino, adesivos cutâneos, implantes, contraceptivo injetável, DIU – dispositivo intrauterino – e, em caso de emergência, a pílula do dia seguinte. Todos os métodos devem ter orientação e acompanhamento medico. Além disso, é importante que se faça um planejamento familiar antes de escolher trazer um filho ao mundo”, explica.

O médico lembra ainda que, independentemente da relação e do sentimento do casal, também é fundamental usar preservativo (camisinha) para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DTS). Ele alerta que estas doenças, além do alto risco de disseminação, podem ocasionar graves danos à saúde. As consequências podem ser desde distúrbios emocionais, doença inflamatória pélvica (DIP), infertilidade, lesões fetais, até câncer, além de facilitar a transmissão do vírus da AIDS(HIV) e Hepatite.


O que são as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)?

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) não escolhem suas vítimas. Elas não olham para idade, raça ou classe social. Ter relações sexuais já a coloca em risco de contrair mais de 30 DST.

Muitas são infecções "silenciosas", isto é, não apresentam sintomas que a alertem de que algo está errado. Algumas DST são apenas irritações, outras podem aumentar o risco de ter câncer ou torná-la estéril, e outras, tais como a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), podem causar a morte.

Vale lembrar que a incidência das DST vem aumentando nos últimos anos, sendo consideradas um problema de Saúde Pública. Este aumento ocorre em consequência das baixas condições socioeconômicas e culturais, das péssimas atuações dos serviços de saúde, do despreparo dos profissionais de saúde e de educação e da falta de uma abordagem mais adequada, principalmente voltada para os jovens. Hoje, as DST estão entre as doenças mais comuns em todo o mundo.
Segundo Guimarães, a maioria das DSTs pode ser diagnosticada por um exame clínico realizado pelo médico, exames de sangue e culturas de secreções das áreas genitais, que identificam o agente causador da doença.


Prevenindo as DSTs

Todas as pessoas que têm relações sexuais estão sob risco. Assim, alguns cuidados são importantes:
1. Escolha do parceiro(a) sexual;
2. Se isso não for possível, evite relações com pessoas portadoras de DSTs;
3. Limite o número de parceiros(as) sexuais - quanto maior o número, maior o risco que você se contaminar ou disseminar uma infecção da qual você seja o portador;
4. Procure por sinais de DSTs em seu parceiro(a) - verrugas, secreções, lesões de pele, etc...
5. Não tenha relações sexuais se você está em tratamento para uma DST;
6. Use sempre a camisinha e também gel de lubrificação íntima, pois diminuem o risco de ruptura do preservativo;
7. Use espermicida (nonoxinol-9) juntamente com as camisinhas - o espermicida pode ajudar a matar alguns dos germes que causam as DSTs;
8. Lave os genitais com água e sabão e urine logo após a relação sexual - isso pode ajudar a limpar germes (caso existam), antes que eles tenham a chance de infectá-lo(a).


Sintomas que devem causar alerta

Muitas vezes não damos importância a sinais que insistem em aparecer. É bom não ignorá-los! Fique alerta e procure um médico caso observe alguns dos sintomas abaixo:

- Ausência de menstruação ou menstruação atrasada quando você sabe que não está grávida ou na menopausa.
- Dor ou sangramento durante ou depois da relação sexual, não estando menstruada.
- Corrimento vaginal mais abundante que o normal ou com odores e cores fortes.
- Nódulo no seio, secreção anormal dos mamilos, dores ou alterações no contorno dos seios.
- Feridas ou verrugas genitais.
- Mudanças no fluxo menstrual, tais como sangramentos entre as menstruações.
- Vermelhidão genital, coceira, ardência.
- Uma necessidade anormal de urinar; dor ao urinar.
- Dores anormais no abdômen, além das cólicas habituais.



Veja mais sobre Saúde Feminina e Urologia

Urologia e Saúde com Dr. Antonio Otero Gil

Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas