Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

24/06/2013
Quando devemos nos preocupar com as dores de cabeça?

Praticamente todo mundo tem, hora ou outra, uma dorzinha chata de cabeça, (clique aqui)


Alguns procuram descansar, outros procuram um remédio para aliviar o sintoma, enfim, deve ser o stress, uma enxaqueca, fome, nada grave, certo? Nem sempre! Em alguns casos a dor de cabeça vem sinalizar um problema agudo e que exige intervenção médica imediata. Mas como separar o joio do trigo? Em que casos devemos correr para um pronto socorro e em quais podemos aguardar a evolução e marcar uma consulta com calma?



Segundo o Neurologista Leandro Teles: “Existem alguns tipos de dor de cabeça mais preocupantes, é fundamental atentar para o padrão da dor, sua evolução no tempo, os sintomas associados e o contexto que gerou seu aparecimento”.

Para organizar de maneira objetiva e didática, convidamos o especialista para enumerar os principais sinais de gravidade e explicar porque nestes casos não dá pra esperar.


1- DOR DE CABEÇA SÚBITA
Um dor de cabeça repentina, explosiva, que atinge seu ápice de intensidade em poucos segundos, é muito preocupante. Para o médico que escuta esse tipo de queixa fica o receio da ruptura ou distensão de um aneurisma cerebral (que é uma dilatação de uma artéria que pode eventualmente rompem durante a vida). As dores mais comuns e benignas geralmente começam mais leves e a intensidade aumenta progressivamente em minutos a horas.


2- DOR DE CABEÇA COM SINTOMAS NEUROLÓGICOS ASSOCIADOS
Sempre que a dor vier acompanhada de outro sintoma neurológico focal o atendimento deve ser imediato. Atentar para fraqueza muscular em alguma parte do corpo, alteração de sensibilidade, confusão mental, alteração visual ou dificuldade para falar ou caminhar. Nestes casos o receio é que haja algumas coisas causando a dor e alterando a função de alguma parte do cérebro, como tumores, abcessos, sangramentos, isquemias, trombose, etc...


3- DOR DE CABEÇA COM SINAIS DE INFECÇÃO
Preste muita atenção e corra para um médico se sua dor de cabeça for acompanhada de febre, dores no corpo, náuseas, dificuldade de movimentar o pescoço, manchas pelo corpo ou mesmo calafrios. Esse tipo de associação pode significar uma meningite, um abscesso cerebral, uma sinusite ou mesmo dengue. Obviamente que infecções mais leves também podem causar dor na cabeça e mal estar, como gripes e diarreias virais, mas nestes casos médico saberá como diferenciá-las.


4- DOR DE CABEÇA QUE SURGE DURANTE ESFORÇO FÍSICO OU ATIVIDADE SEXUAL
Em casos em que a dor iniciou-se durante o esforço ou atividade sexual novamente surge o temor da distensão ou ruptura de um aneurisma cerebral (o esforço aumenta a pressão nesse vaso e pode predispor ao seu rompimento). Identificada essa associação temporal entre a atividade e o início da dor uma investigação mais detalhada precisa ser feita para tranquilizar o médico e o paciente.


5- DOR DE CABEÇA EM PESSOAS MAIS DEBILITADAS
Dores em pessoas acima de 60 anos, antecedente de tumores, problemas de coagulação, imunidade baixa, gestantes, criança pequenas, etc. merecem uma atenção toda especial. Nesses pacientes, a fragilidade torna a ocorrência de um problema mais preocupante mais provável que na população geral. Por isso, todo o cuidado com eles é pouco.


6- DOR DE CABEÇA PROGRESSIVA
Aquela dor que acomete o paciente diariamente e que mostra-se pior a cada dia é, sem sombra de dúvida, um bom motivo para procurar rapidamente um neurologista. Esse tipo de evolução arrastada e progressiva é típico de lesões que ocupam espaço dentro do crânio, como tumores, trombose venosa, abscesso, etc... Esse comportamento não é tão comum para enxaquecas e dores de cabeça tensionais, que geralmente mostram períodos de piora intercalados com melhora ou, eventualmente, uma dor de cabeça diária, mas estável (não progressiva).


7- DOR DE CABEÇA APÓS TRAUMATISMO CRANIANO
Muito cuidado com dores que surgem após traumatismo relevante na cabeça. O trauma pode gerar inchaço, contusões e mesmo sangramentos dentro e em torno do cérebro. As pessoas mais susceptíveis a complicações de trauma são os idosos, as crianças pequenas e os alcoólatras. Atende para dor que ocorre fora do local exato da batida, para sintomas neurológicos como confusão e sonolência, para secreção saindo do ouvido ou pelo nariz (surgida após a pancada) e hematomas atrás da orelha ou abaixo dos olhos (sinais de traumas mais intensos). Na dúvida é sempre melhor conduzir essas pessoas a um pronto atendimento.
Importante destacar que essas são dicas gerais e não regras absolutas. Sempre que a dor de cabeça te incomodar muito e alterar o seu ritmo de vida é fundamental procurar ajuda especializada e de confiança para se certificar do diagnóstico exato e programar seu tratamento o quanto antes (mesmo que ela não preencha nenhum critério citado acima).




Veja mais SOBRE DOR DE CABEÇA em:

Neurologia e Saúde com Prof. Dr. Paulo Caramelli




Serviço:
www.leandroteles.com.br





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas