Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

13/01/2014
Férias X Direção X Dores nas Costas

Manter a coluna curvada ao conduzir contribui para a apresentação de dores na região lombar



Há quem acredite que as dores na coluna são um mal que acomete apenas pessoas em idade avançada. Mas, diferente do que muitos pensam, esses incômodos que atingem a região lombar afetam homens e mulheres de diferentes faixas etárias e até mesmo crianças. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das pessoas sofrem ou sofrerão com a lombalgia, problema popularmente conhecida como dor nas costas.

A causa mais frequente para a o aparecimento das dores na coluna é devido à má postura durante a realização de tarefas diariamente. “As principais características são a rigidez nas articulações e as contraturas, afetando principalmente a região em cima dos ombros e o pescoço”, descreve o Dr. Helder Montenegro, fisioterapeuta especialista em coluna vertebral, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna – ABRC e diretor do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral.

De acordo com o Ortopedista, Traumatologista e Colunista do Portal Sentir Bem, Dr. Roberto Ranzini, "a pior posição estática para a coluna lombar é ficar sentado, por isso a necessidade de realizar paradas durante viagens com duração maior do que 40 minutos, sair do veículo e andar um pouco." Pessoas que passam muitas horas dirigindo como durante viagens de longa distância ou no caso de motoristas que ficam muitas horas no trânsito, são mais propensas ao surgimento da lombalgia – dor que acontece na região lombar e corresponde a região inferior da coluna vertebral – como assim explica o Dr. Montenegro: “A dor surge quando o indivíduo posiciona-se de maneira inadequada em frente ao volante. Muitos costumam ficar curvados, com o assento muito longe dos pedais e com os ombros elevados, causando assim uma sobrecarga na coluna”.

"As pessoas tem uma tendência a encolher os ombros e projetar a cabeça para frente após algum período dirigindo, com isso as dores cervicais aparecem. Tentar corrigir isto relaxando os ombros e posicionando a cabeça mais para trás" complementa Dr. Ranzini.


Para evitar ser surpreendido com os incômodos das dores na região lombar, veja as dicas do Dr. Helder Montenegro sobre o posicionamento indicado para quem dirige longos períodos. Acompanhe:

Região lombar: deve permanecer totalmente apoiada no banco. Se o assento não possui ajuste lombar utilize um rolo lombar ou uma toalha enrolada para dar o devido suporte a região.

Braços e pernas: acomode o ajuste do banco para que os pés não fiquem muito distantes dos pedais. O ideal é que os joelhos não fiquem totalmente dobrados, mas levemente flexionados para melhor conforto ao dirigir. Os braços não podem permanecer totalmente esticados, mas com os cotovelos semifletidos para não tensionar ombros e pescoço.

Pescoço: O encosto da cabeça deve ser mantido a 90º com relação ao assento para que não haja o movimento denominado “chicote”, que ocorre quando o pescoço é modificado de forma brusca para trás no momento de um impacto na traseira do carro. O fisioterapeuta ressalta que essas complicações na coluna desaparecem entre três a seis dias com ou sem tratamento. No entanto, se os sintomas persistirem, o ideal é buscar o auxílio de um médico que identificará a cronicidade do dor. “Evitar a obesidade e manter uma vida longe do sedentarismo são atitudes que contribuem para o não comprometimento da lombar. Isso porque, a prática de exercícios físicos ajuda a fortalecer a musculatura, evita os desgastes entre as vértebras na coluna e reduz o risco de lesões”, finaliza o Dr. Helder Montenegro.



Dicas para evitar problemas na coluna durante as viagens de férias

Durante as férias é possível desfrutar de momentos que a correria do dia a dia não nos permite. Para a maioria das pessoas, o período longe do trabalho serve para descansar e relaxar o corpo e a mente. Se aproveitado de maneira consciente é considerado até como ferramenta fortalecedora do sistema imunológico. O que muitos ainda não sabem é que pequenos gestos errados na hora de “embarcar” para a diversão podem ser ruins para a saúde da coluna. Os principais problemas são formigamento, dores, lombalgias e cervicalgias.

Segundo o fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna, proprietário do ITC Vertebral Ribeirão e ITC Vertebral Curitiba e perito do trabalho, para evitar este tipo de ocorrência, o carregamento de malas deve ser realizado com alguns procedimentos importantes. “Devemos sempre usar bagagens com rodas e na impossibilidade, procurar um meio de transporte, optar por mochilas ou dividir o peso em duas sacolas para não sobrecarregar um dos lados da coluna”, diz.

Já para os motoristas o alerta é outro. “É importante parar a cada uma ou no máximo duas horas de percurso. Devemos esticar o corpo, hidratá-lo e descansar alguns minutos. Alongar e também andar durante as pausas são boas opções. A dica também serve para quem for viajar de avião: levantar, alongar e caminhar um pouco”, avisa Martins.



Confira algumas dicas para ter mais qualidade em seu descanso:

- O melhor local para organizar as roupas da viagem é sobre uma mesa, pois ela tem a altura ideal para evitar que se curve para frente. Manter a mala próxima a esse local e igualmente numa altura satisfatória para a sua coluna.

- Ao colocar ou retirar as malas do bagageiro, evite curvar o tronco para a frente, pois essa posição sobrecarrega a coluna. Se forem muito pesadas peça ajuda à outra pessoa.

- Na esteira do aeroporto, faça uma base larga entre os pés, posicionando um à frente do outro. As pernas devem estar semi-flexionadas, um pouco dobradas. Utilize a força das pernas para suspender o objeto e aproxime-o do seu corpo.

- No carro, os joelhos devem estar alinhados com os quadris ou um pouco acima. Apoie bem o corpo no assento e no encosto do banco e mais próximo possível de um ângulo de 90 graus. A distância dos pedais deve ser tal que seja possível alcançá-los com os pés de modo que os joelhos permaneçam levemente flexionados. Evite apoiar a cabeça no encosto, mas mantenha-o na altura da mesma. O encosto deve dar total apoio à coluna, a uma distância do volante que permita que os cotovelos do motorista mantenham-se em leve flexão, de forma a garantir liberdade de movimentos.



Veja mais sobre ORTOPEDIA E DORES NAS COSTAS em:

Ortopedia e Saúde com Dr. Roberto Ranzini





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas