Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

16/07/2007
Por que o álcool prejudica o fígado?

Com a chegada do inverno e o período de férias, previna-se desse mal que traz conseqüências perigosas para sua saúde

O consumo diário de bebidas alcoólicas torna-se um hábito comum, principalmente, com a chegada do inverno e das férias, por ser um período em que as festas acontecem com mais freqüência e, consequentemente, os níveis consumidos de álcool também são maiores.

Mas, afinal, por que as pessoas bebem?

Certamente porque o álcool etílico, ou etanol, usado nas bebidas, pode relaxar e diminuir a ansiedade, a angústia e as crescentes tensões do dia-a-dia. Além disto, ao contrário de outras drogas químicas, o álcool é bem aceito socialmente, facilita o contacto entre as pessoas e é fácil de ser adquirido, além de ser frequentemente divulgado na mídia, associado a situações de prazer ou de sucesso. O uso diário de vinhos é, inclusive, frequentemente divulgado como redutor dos riscos de coronariopatia. No entanto, pouco se divulga seus enormes riscos quando consumido excessivamente ou de modo diário.

Quantidades diárias de 30g de álcool, ou seja, 1,5 doses de whisky, 1,5 garrafas de cerveja ou 2 taças de vinho podem provocar lesões no fígado que não acusam sintomas até que em determinado momento surjam manifestações de doença avançada como icterícia (cor amarelada dos olhos e da pele) e, já havendo uma cirrose hepática, inchação nos pés, barriga d'água e emagrecimento.

O álcool juntamente com a hepatite C é a principal causa de cirrose hepática, podendo destruir o fígado lentamente. O mais preocupante, porém, é que a maioria dos portadores desconhece sua condição, uma vez que a doença, em geral, evolui silenciosamente.

É importante lembrar que a cirrose alcoólica é determinada por 2 fatores fundamenteis: o consumo de bebidas alcoólicas e uma predisposição genética para a doença. Para que surja a cirrose alcoólica, é preciso que os 2 fatores estejam presentes no indivíduo. Se houver apenas 1 deles, a pessoa não terá a cirrose alcoólica. Isto explica porque alguns indivíduos bebem muito e não desenvolvem cirrose (mas, sim, outras conseqüências do alcoolismo), enquanto outros bebem e sofrem a doença. Só que não há, ainda, meios de se saber, preventivamente, quem tem a predisposição genética para cirrose alcoólica.

E, entre as pessoas que bebem, o risco de desenvolver cirrose é maior nas mulheres do que nos homens!

Portanto, é fundamental que aqueles que as apreciam, usem as bebidas alcoólicas com bastante moderação.





Mais Matérias

Veja mais

18/07/2014 - Quantidade X Qualidade Sexual. Como resolver? E quando chega a menopausa?


18/07/2014 - Pontadas na cabeça: o que podem ser?


08/07/2014 - Vírus e bactérias que causam enfermidades podem estar escondidos dentro de casa!


08/07/2014 - Preguiça ou Sono Excessivo? Como identificar e diferenciar?


26/06/2014 - Emagrecer a "cabeça" é mais difícil do que o corpo!




Clique aqui e veja todas as matérias

Como você costuma se preparar para o verão?

Fazendo dieta
Com tratamentos estéticos
Começando ou intensificando os exercícios
Não mudo nada minha rotina



:: Resultado Parcial