Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

18/02/2008
A importância de relaxar

Estudos apontam que relaxar ajuda a manter o desempenho e equilíbrio diários

Relaxar é uma técnica milenar indiana de 5 mil anos que tem como objetivo principal fazer com que a homeostase corporal (equilíbrio das funções vitais do corpo humano), promova o descanso muscular e dilatação dos vasos sangüíneos promovendo a sensação de bem-estar e equilíbrio. Esse conceito, muitas pessoas conhecem e acreditam, mas infelizmente poucos o colocam em prática com a desculpa de falta de tempo. Com isso, acumulam cada vez mais problemas emocionais e físicos.

De acordo com José Moromizato, médico e palestrante que hoje é considerado um dos grandes incentivadores da medicina psicossomática (ramo da medicina que trata as moléstias orgânicas através da cura da mente), o corpo reflete o que as pessoas pensam e sentem. “Do ponto de vista psicossomático, um corpo tenso possui uma circulação sangüínea prejudicada, devido ao fechamento dos vasos. Em contrapartida, quando o indivíduo tem a prática diária de relaxar, seus vasos sangüíneos estão propensos a maior elasticidade, e o sangue a circular com maior facilidade pelo corpo, chegando inclusive às extremidades com mais eficiência”, explica o especialista.

Ao ser questionado sobre a razão da sobrecarga que o ser humano acumula em razão da vida atribulada que leva, Moromizato é categórico. “Deus criou o dia e a noite, justamente para trabalharmos à luz do dia e descansarmos à noite. Entretanto, a evolução técnico-científica das últimas décadas não permitiu a continuidade deste hábito e sobrecarregou a mente humana com informações que devem ser absorvidas a cada instante, já que estas são produzidas e divulgadas em uma velocidade surpreendente, comparada com o início do século passado”.

Tamanha evolução trouxe mais rapidamente ao homem uma sobrecarga de informações, às vezes desnecessárias, que demandam do organismo uma série de mecanismos para compensar tamanha tensão que a vida moderna traz.

Entre as diversas reações bioquímicas que a sobrecarga provoca encontram-se o fechamento (constrição) dos vasos sangüíneos, o aumento da freqüência cardíaca, da pressão arterial, da freqüência respiratória e a diminuição dos movimentos gastro-intestinais, aumento da temperatura basal e do tônus muscular. “Todas essas reações são desencadeadas pelo cérebro, que percebe e decodifica uma sensação de perigo iminente, preparando o corpo para correr ou defender-se. No entanto, presume-se que situações como estas aconteçam esporadicamente, e o problema encontra-se justamente neste ponto, porque esse comportamento se repete sempre”, alerta o médico.

Essas reações que foram criadas para facilitar o movimento e a força muscular para o organismo agir, hoje em dia não são aproveitadas, dada a vida sedentária que o homem moderno adotou no seu dia-a-dia. Além disso, as tensões, cobranças e exigência deixam o homem em constante tensão, levando a um quadro que torna-se crônico com o passar dos anos.

Relaxar permite que a pessoa sinta um novo bem estar interior, sem as preocupações e cobranças interiores de si próprio. “O lema é: ` o que posso revolver comigo mesmo, o que não depende de mim, resolvido está por enquanto. Isso quer dizer que os problemas do dia-a-dia continuam a acontecer, mas o diferencial é a maneira de cada um em administrar esses problemas, explorando sua capacidade, criatividade e coragem advindas de uma mente tranqüila. Quando se está com a mente relaxada, sabe-se administrar os problemas profissionais e pessoais de maneira separada. Geralmente, cada um resolve os problemas de acordo com o que está no seu inconsciente. Se uma pessoa tem muitas mágoas, ressentimentos, falta de auto estima guardados no seu inconsciente, ela tem a tendência a resolver os problemas do dia-a-dia de forma destrutiva, ao contrário daquela que tem o inconsciente não tão sobrecarregado, consegue ver de fora os problemas”, ressalta Moromizato.

O médico reforça que o tempo é questão de preferência. “Sábio é aquele que tem como objetivo na vida não só a satisfação profissional e financeira, mas sim se doutrinar para cuidar da saúde. As pessoas que não reservam um momento, cinco minutos ou dez no máximo, para cuidar do seu bem-estar, estão escravizadas pelo trabalho, ou pela cobrança de si próprias. Isso leva ao perfeccionismo e, muitas vezes à obsessão por trabalho (workaholic). Não há nada de muito novo a dizer para estas pessoas, porque elas próprias haverão de conscientizarem-se dos seus limites corporais, ou então esperarem suas máquinas apresentarem falhas, no caso doenças, para daí procurar fazer os reparos”. Vale lembrar que o mais importante, como Moromizato afirma, é que existe uma maneira para não chegar a tal ponto.

O método, que potencializa as habilidades e ensina como relaxar é o Treinamento Autógeno criado pelo psiquiatra e neurologista alemão Johannes Schultz, em 1920, época em que as questões da mente, como a manifestação do inconsciente através de sintomas físicos, conceitos de ego, id e superego foram evidenciados e divulgados por Sigmund Freud.

Além do relaxamento, Moromizato utiliza em sua terapia a oxigenação e a repetição de sugestões positivas, enquanto o paciente relaxa. “A oxigenação é fundamental para o bem estar e funcionamento do organismo físico e mental”, diz o médico. Ainda complementa que é possível ficar alguns dias sem comer ou beber água, mas o organismo não suportaria a falta de oxigênio por mais que cinco minutos. “Como exemplo, uma das primeiras reações que o organismo manifesta nos primeiros minutos de déficit de oxigenação é o rebaixamento da consciência. Isto leva à evidência de que respiramos menos, enquanto dormimos. A atividade cerebral tende a desacelerar também, quando estamos em estado de descanso, portanto, a terapia com oxigênio promove a manutenção da atividade cerebral, mesmo em níveis mais profundos de relaxamento. Esse evento torna-se muito importante para a etapa seguinte, que é a repetição de sugestões positivas.

Devido a quantidade de informações negativas absorvidas pela mente é muito natural que a tendência ao negativismo seja cada vez maior no inconsciente, à medida do amadurecimento. Isso faz enxergar uma realidade através de lentes negativas e carregadas de preconceitos, ainda que o raciocínio não conclua desta forma. “É só lembrar de situações que causam medo inconsciente (público, locais fechados, insetos, etc) e, por mais que o raciocínio interprete que tal objeto é inofensivo, o medo às vezes vence todos esses argumentos”, conclui o médico.

Serviço:
Sobre o médico Jose Moromizato
Em plena atividade profissional, José Moromizato celebra o fato de ser um incentivador da medicina psicossomática no país. Atuando ao longo de 20 anos como cirurgião, observou que, apesar da intervenção, não raro a doença voltava a se instalar nos pacientes. Foi a partir dessa observação que desenvolveu a sua eficaz e revolucionária terapia. Atua também como palestrante.





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas