Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

30/06/2008
Cuidados simples garantem a saúde bucal

Boa escovação e uso do fio dental previnem as doenças periodontais

Depois das cáries, as doenças periodontais são os grandes vilões dos dentistas. Bactérias se acumulam na região ao redor do dente e atacam gengivas, ossos e os ligamentos que sustentam o dente. Muitas vezes, o acúmulo dessas bactérias é resultado da escovação e do uso de fio dental inadequados. O estágio inicial das doenças periodontais é a gengivite, inflamação da gengiva caracterizada por vermelhidão e sangramentos, que aparecem espontaneamente ou na hora da escovação.

Esses sintomas são o começo de um mal que pode piorar e quase sempre é indolor. "Não há dor porque, as gengivas, diferente dos dentes, têm grande capacidade de expansão. Quando agredidas, sua irrigação aumenta, mas elas têm espaço para receber o sangue. Isso faz com que muitos pacientes só procurem ajuda quando o estágio da doença está avançado", explica o cirurgião-dentista Marcio Melara. Segundo dados estatísticos, 80% da população já apresentou casos de gengivite.

As doenças periodontais são causadas principalmente pela presença da placa bacteriana e tártaro no tecido ao redor do dente. A periodontite, geralmente, é conseqüência de uma gengivite não tratada, que ocorre quando os tecidos ao redor do dente já estão comprometidos. Mas, há algumas situações que podem se iniciar diretamente com a periodontite, sem passar pelo estágio inicial da gengivite. "Se o problema persistir, ocorrerá uma grande destruição das estruturas de sustentação do dente (osso, gengiva e ligamentos) e ele poderá até chegar a cair", explica Melara.

Além disso, estudos dizem que o diabetes tipo 2 (mellitus) influencia na instalação e progressão da doença periodontal por diversos fatores, entre eles a baixa imunidade do paciente, que fica mais propenso a contrair infecções. Pesquisas mostram inter-relação de doenças periodontais com doenças sistêmicas, tais como doenças respiratórias, osteoporose, nascimento de crianças prematuras e crianças com baixo peso. A desnutrição, leucemia, AIDS e o tabagismo também são fatores que intensificam as chances de as doenças periodontais aparecem. Fumantes têm até quatro vezes mais chances de ter a doença.

A prevenção dessas complicações é simples: o uso corretamente de fio e escova dental para remover a placa bacteriana que se adere aos dentes e próteses. Se esses cuidados diários não forem suficientes para remover a placa, ela produzirá substâncias que podem irritar o tecido periodontal, causando a gengivite.

Tratamento

Quanto mais avançada a doença, mais complexo é o tratamento. Segundo Melara, a gengivite desaparece com a higienização bucal. É importante sempre fazer uma boa escovação e não esquecer do fio dental, dessa maneira, o ressurgimento do problema é evitado. "Já a periodontite exige cuidados profissionais. Há a necessidade de raspagem para remoção de todo o tártaro (placa endurecida) e da superfície doente da raiz. Antibióticos podem ser receitados, especialmente quando a doença está numa fase aguda", ressalta. Além disso, cirurgias podem ser necessárias caso a raspagem não controlem a doença, ou se estiver muito avançada, com perda óssea ao redor dos dentes.

Recomenda-se visitar o dentista para a manutenções nos dentes a cada 3 ou 4 meses, dependendo do caso.

Veja mais sobre em nossa coluna de Saúde Bucal com Dr. Luiz Felipe Scabar





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas