Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

16/03/2009
Menopausa pode aumentar a libido?

Quando o assunto é sexualidade, ao contrário do que a maioria das mulheres imagina, do ponto de vista biológico a menopausa pode aumentar a libido. O ginecologista, Neucenir Gallani, explica que na menopausa os folículos deixam de produzir estrogênio, o que aumenta a produção do hormônio responsável pela fertilidade feminina, FSH (Hormônio Folículo Estimulante) e do LH (Hormônio Luteinizante).

A elevação do LH estimula a produção de androgênios – testosterona e androstenediona. Estes hormônios atuam no sistema límbico aumentando a libido, disposição e o bem-estar geral. Por isso, afirma, a falta de libido muitas vezes está relacionada ao consumo de medicamentos como: antidepressivos, ansiolíticos, anti-hipertensivos e até fatores culturais. Isso porque no ocidente há o culto ao novo e ao jovem e a menopausa é vista como uma espécie de "aposentadoria" da mulher. Esta visão, ressalta, traz muita angustia e sentimento de menos valia o que, sem dúvida, também compromete a libido. A atividade sexual é instintiva, biológica, natural e universal. Já o comportamento sexual, observa, está relacionado à experiência e valores de cada pessoa. É comum homens e mulheres que não tiveram vida sexual boa na juventude culparem a idade pela falta de libido.

É claro que ocorrem alterações físicas no corpo feminino, com destaque para a redução da lubrificação genital. Apesar disso, Gallani diz que a mulher precisa entender que a menopausa é um processo normal, fisiológico e que alimentação adequada, atividades físicas, cuidados médicos e principalmente ter planos para o futuro, ou seja, sonhos a realizar mantêm a auto-estima elevada e só pode trazer qualidade de vida, inclusive do ponto de vista sexual.

Para o especialista a TRH (Terapia de Reposição Hormonal) é um benefício inquestionável à mulher. Deve ser feita de forma individualizada, conforme o estado geral de saúde e sempre sob orientação médica.. Um dos benefícios, destaca, é a melhor absorção do cálcio, essencial para evitar a osteoporose, comum nesta fase da vida. E não é só. Gallani lembra de um estudo recente, feito na Finlândia, que observou a ação dos estrogênios sobre o centro regulador do sono. Esses hormônios atuam sobre o relógio biológico da mulher e podem alterá-lo quando entram em desequilíbrio, diz. Por conta disso, muitas mulheres podem sentir a irritabilidade que atinge 30% das mulheres em período pré-menstrual. Não quer dizer que todas devam fazer TRH. Isso porque existem muitas formas de fazer a terapia que não pode ser generalizada – cada caso é um caso – conclui.

Matérias que você vai gostar de ler mais:

1) Soja e osteoporose

2) Menopausa e osteoporose

3) Dicas para a menopausa

Veja mais sobre o assunto em nossa coluna Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão.





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas