Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

27/08/2009
HPV entre as mulheres: o que é, sintomas e tratamentos

O HPV – PapilomaVirus Humano - é uma doença viral infecciosa, também conhecida por crista de galo, verruga genital ou condiloma acuminado. A maioria das infecções por HPV é assintomática. Contudo o a doença pode se manifestar na forma de verrugas, em uma forma denominada subclínica, na qual o vírus é detectado apenas sob técnicas de magnificação e após aplicação de reagentes, como o ácido acético, ou o vírus pode estabelecer uma infecção latente onde não maneiras clínicas ou subclínicas de identificá-lo.

Sendo assim, é detectado somente por avaliações moleculares do tecido infectado, onde o DNA viral é encontrado. Não é conhecido o tempo que o vírus pode permanecer em tal estado, podendo variar de semanas a décadas. Os condilomas ou verrugas, dependendo do tamanho e localização anatômica, podem ser dolorosos, friáveis e/ou pruriginosos. Quando presentes no colo uterino, vagina, uretra e ânus, também podem ser sintomáticos. As verrugas intra-anais são predominantes em pacientes que tenham tido coito anal receptivo. Já as perianais podem ocorrer em homens e mulheres que não têm história de penetração anal. “Para se detectar precocemente esta doença, é essencial o exame ginecológico periódico com a coleta da citologia cervico-vaginal (exame de Papanicolaou), e com a realização de exames adicionais, quando necessários, tais como colposcopia, biópsia ou exames de biologia molecular”, completa Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão, professor livre-docente da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em São Paulo.

Tire algumas dúvidas com a ginecologista Dra. Rosa Maria Neme, graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo. Nesta conversa a médica fala sobre o que é o HPV, seus sintomas, porque ele atinge mais mulheres do que homens e os tratamentos para combater este terrível inimigo da saúde íntima.

1) O que é o HPV e por que é tão perigoso? Meninas também podem desenvolver o câncer no colo uterino devido ao HPV?

É a sigla em inglês para papiloma vírus humano. É um vírus transmitido através do contato da pele e, no caso da região genital, transmitido através de relações sexuais e podem causar lesões no pênis, vagina, colo do útero e vulva. Meninas que apresentam o HPV de alto risco podem desenvolver o câncer de colo uterino, apesar de ser raro nesta faixa etária.

2) As mulheres são mais vulneráveis ao HPV? Em caso positivo, por que?

Em geral, as mulheres apresentam-se mais vulneráveis à infecção pelo HPV por apresentarem variações tanto do ciclo hormonal quanto da imunidade ao longo do mês, diferentemente dos homens. Com isso, apresentam mais chance de contrair a infecção.

3) O que ocorre quando um indivíduo é infectado pelo HPV? Os sintomas sempre aparecem? Quais são?

Nem sempre os sintomas aparecem naquele momento. O vírus pode ficar incubado e aparecer muitos anos depois. Os sintomas dependem do tipo de HPV que infecta a mulher. As manifestações mais comuns na região genital são as verrugas genitais ou condilomas acuminados, conhecidas como "crista de galo". Já outras pacientes com lesões subclínicas podem não apresentar sintomas, podendo ter apenas manifestações discretas como corrimentos de repetição, por exemplo. No caso dos tipos de alto risco, o HPV pode causar, a longo prazo, o câncer de colo de útero ou antes disso, lesões precursoras do câncer.

4) Como o HPV pode provocar o câncer de colo de útero?

O HPV provoca alterações estruturais no material genético da célula do colo do útero e da vulva e com isso causa uma alteração genética chamada atipia que transforma a célula normal em uma célula com potencial de malignidade.

5) Quanto tempo os sintomas demoram para aparecer?

Dependerá de pessoa para pessoa e da imunidade (defesa do corpo) da mesma.

6) Em mulheres grávidas, quais os riscos da infecção por HPV?

O risco na mulher grávida, pode ser maior, já que a imunidade da mulher nessa fase da vida é menor. Com isso o risco de contrair a infecção é maior e se a mulher já tiver o vírus, a chance do aparecimento de lesões é maior também.

7) Como é feito o diagnóstico? Quais são os exames solicitados? E se a menina for virgem e estiver com suspeita de HPV?

As verrugas genitais podem ser encontradas no ânus, no pênis, na vulva ou vagina e podem ser visibilizadas através de exame urológico (peniscopia), ginecológico (colposcopia e vulvoscopia). Já o diagnóstico de suspeita pode ser feito através do exame citológico (exame preventivo de Papanicolaou). O diagnóstico definitivo é realizado através de exames laboratoriais de diagnóstico molecular, como o teste de captura híbrida e o PCR e biópsia da região suspeita. Se a menina for virgem, o HPV externo (de vulva) pode ser diagnosticado sem dificuldades.

8) Como é feito o tratamento? Quanto tempo dura?

Na maioria das vezes, a infecção é assintomática. Nos casos das verrugas, os tratamentos são realizados através de uso de ácidos no local da verruga, uso de laser ou ainda a retirada cirúrgica apenas. Em alguns casos de HPV em colo de útero, pode ser realizada apenas a cauterização do local. A duração do tratamento depende da extensão do processo e da recidiva da doença.

9) Como prevenir o contágio?

O uso de preservativos em todas as relações sexuais durante todo o tempo. Nem sempre o homem ou a mulher apresentam lesões visíveis a olho nu. Por isso não se pode bobear.

10) Poderia falar um pouco sobre a vacina contra o HPV? Como ela funciona? Por que ela gerou tanta polêmica? Ela já pode ser tomada no Brasil? Quem pode tomar?

A vacina foi criada com o objetivo de prevenir a infecção por HPV e, assim, reduzir o número de pacientes que venham a desenvolver câncer de colo de útero. Foram desenvolvidas duas vacinas contra os tipos mais presentes no câncer de colo do útero (HPV-16 e HPV-18). O impacto real da vacinação contra o câncer de colo de útero só poderá ser observado após décadas. Há duas vacinas comercializadas no Brasil. Uma delas é quadrivalente, ou seja, previne contra os tipos 16 e 18, presentes em 70% dos casos de câncer de colo do útero e contra os tipos 6 e 11, presentes em 90% dos casos de verrugas.

A vacina funciona estimulando a produção de anticorpos específicos para cada tipo de HPV. A proteção contra a infecção vai depender da quantidade de anticorpos produzidos pelo indivíduo vacinado, a presença destes anticorpos no local da infecção e a sua persistência durante um longo período de tempo. A vacina pode ser tomada no Brasil e é administrada em 3 doses, com 1, 2 e 6 meses.

11) Qual o tempo de proteção após a vacinação?

Os estudos atuais estimam o tempo de infecção em 8 anos e meio.

12) A partir de qual idade, se pode tomar a vacina?

Preconiza-se a aplicação da vacina à partir dos 9 anos de idade.

13) A vacina está disponível na rede pública de saúde?

Infelizmente, ainda não.

Matérias que você vai gostar de ler mais:

1) Cigarro e HPV

2) Vacina contra câncer do colo do útero

Veja mais sobre o assunto em nossa coluna de Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas