Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

24/09/2009
Transou e esqueceu a proteção?

A pílula do dia seguinte serve para que a mulher não fique grávida de maneira indesejada e deve ser usada com uma prescrição medica para não haver complicações em sua saúde, essa pílula deve ser tomada logo após uma relação sexual onde a camisinha foi estourada ou quando a mulher esqueceu de tomar se anticoncepcional. É um medicamento de emergência!.

Por ser um medicamento onde não há necessidade de apresentar prescrição médica, é facilmente obtido nas farmácias e drogarias. Porém, muitas dúvidas rondam o universo feminino quanto ao uso, eficácia e durabilidade da Pílula do Dia Seguinte, inclusive para evitar os abusos do uso indevido e constante. Para falar sobre o assunto, entrevistamos a ginecologista Dra. Rosa Maria Neme (CRM-SP 87844), graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, que faz um alerta: “Apesar de não ter contraindicação, a pílula do dia seguinte deve ser ingerida somente em ocasiões de emergência e nunca como um método contraceptivo convencional, pois seu uso freqüente pode alterar o ciclo menstrual” .

Erroneamente, casais que não usam preservativos nem pílulas anticoncepcionais veem na pílula do dia seguinte um método para evitar a gravidez. Esse é, infelizmente, um hábito muito comum e existem consequências relacionadas ao uso indiscriminado da pílula do dia seguinte.

Para se ter uma idéia, duas pílulas ingeridas com intervalo de doze horas concentram todo hormônio contido numa cartela de 21 pílulas anticoncepcionais. Sucessivas doses de hormônio desregulam o ciclo menstrual e podem provocar efeitos colaterais ainda desconhecidos, por se tratar de um método recente.

Dra. Rosa tira algumas dúvidas:

1- Qual a composição deste medicamento? E por que ele é mais potente em relação às demais pílulas?

A pílula do dia seguinte é composta apenas de progesterona, o levonorgestrel. Ela é considerada mais potente, porque possui maior concentração do hormônio quando comparada a uma pílula tomada diariamente.

2- Como ela atua sobre o organismo? Quais os efeitos colaterais?

A ação da progesterona é tornar o endométrio um ambiente inóspito para a implantação do embrião. Como efeito colateral, pode provocar enjôo, mal-estar e dor-de-cabeça.

3- A pílula do dia seguinte é eficaz? Oferece riscos ou possíveis efeitos colaterais? Quanto tempo após a relação ela deve ser tomada?

Idealmente ela deve ser tomada até 24 horas da relação desprotegida para garantir uma eficácia adequada. Mas, pode eventualmente ser tomada até 72 horas após a relação. Os riscos de gravidez existem e também de ocasionar irregularidade menstrual. Por esta razão, não deve ser tomada sempre.

4- É possível evitar a gravidez com ela?

A pílula do dia seguinte possui uma efetividade de quase 94% se tomada nas primeiras 24 horas, após a relação sexual desprotegida ou acidental.

5- Em quais ocasiões ela deve ser tomada? Precisa de prescrição médica?

Somente em ocasiões de emergência e nunca como um método contraceptivo convencional. Deve ser prescrita sempre pelo médico.

6- Ela tem sido usada por muitos jovens como método regular de contracepção, não emergencial. Qual é o risco desse procedimento?

O grande risco é desregular todo o ciclo hormonal. Essa pílula apresenta uma dose alta de hormônio e se usada de forma não emergencial, pode causar sintomas como irregularidade menstrual importante, efeitos desconfortáveis na pele, como acne e aumento de oleosidade, por exemplo.

7- É perigoso adotar a pílula do dia seguinte como a única forma de evitar a gravidez e as DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)? Por que? O que o uso frequente da pílula do dia seguinte pode causar?

Claro. Em primeiro lugar, por que ela não previne contra DSTs, e em segundo porque usá-la como método para evitar a gravidez, vai causar um desequilíbrio hormonal significativo no organismo feminino. Ela pode ser conciliada esporadicamente com outros métodos, mas se usada com freqüência, pode causar retenção hídrica, aumento da oleosidade da pele, entre outros sintomas.

8- Qual deve ser a periodicidade da pílula?

Deve ser tomada em dose única (postinor uno ®) ou em 2 doses com intervalo de 12 horas entre a primeira e segunda dose (postinor duo ®).

Convêm lembrar que:

- As pílulas de contracepção de emergência não funcionam se você já estiver grávida, portanto assegure-se disso com seu médico.
- Contracepção de Emergência não é um método abortivo,
- É aprovado pelo Ministério da Saúde.

Se usada com consciência e prescrita por um médico, a pílula do dia seguinte constitui uma opção desde que não seja individualmente contraindicado. Só um médico poderá avaliar se determinada mulher pode ou não utilizá-la.

Veja mais sobre o assunto em nossa coluna de Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas