Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

03/12/2009
Sem dores na gravidez

A gravidez é uma das fases na vida da mulher em que ela se sente mais plena, mais completa e feliz. Vivencia momentos de ansiedade e expectativa, que podem ser marcados por diversos tipos de dores e desconfortos. A causa dos incômodos pode ser explicada pelo efeito relaxante e suavizante dos hormônios da gravidez (progesterona e relaxina), seguido pelo aumento de peso, retenção líquida e mudanças posturais. Além disso, o útero crescente pode dar margens a fortes dores, principalmente do quarto ao sétimo mês de gestação.



Pesquisas indicam que em 50% das mulheres grávidas a dor é de intensidade e duração suficientes para afetar o estilo de vida de alguma forma. A maioria tem dor lombar, que torna-se pior ao ficar de pé, sentando, inclinando-se, erguendo peso e até caminhando.



“A dor geralmente ocorre devido a alterações posturais decorrentes da gestação, aumento da frouxidão ligamentar e diminuição da função abdominal. Os sintomas de dor lombar geralmente pioram com a fadiga muscular devido a posturas estáticas ou à medida que vai passando o dia, mas são geralmente aliviados com repouso ou mudança de posição. Os sintomas podem ser tratados efetivamente com uma mecânica corporal apropriada (através de um trabalho corporal como, por exemplo, RPG) e instruções posturais”, explica a fisioterapeuta Deborah Supino.



Cuidados com as costas durante a gravidez:



Com as mudanças de postura e de peso, posições para sentar, inclinar, levantar, trabalhar e a realização de tarefas domésticas devem ser consideradas. Confira abaixo algumas medidas preventivas sugeridas pela fisioterapeuta:



DEITAR: As posições confortáveis de repouso e sono são obrigatórias - É recomendado o uso de travesseiros entre os joelhos quando deitado de lado. Se for dormir com a barriga para cima, coloque travesseiros sob os joelhos dobrados, embora seja desaconselhada essa posição por períodos prolongados, no fim da gravidez principalmente.



SENTAR: As nádegas devem ficar bem ao fundo do assento da cadeira, com quadril, joelhos e tornozelos formando um ângulo de 90 graus. A colocação de uma almofada ou apoio na lombar é aconselhável para aliviar a dor nas costas. As mudanças freqüentes de atividade e de posição são muito importantes para a prevenção da dor.



FICAR EM PÉ E CAMINHAR: O modo mais simples de obter uma boa postura é o de ficar em pé e andar ereto. Uma pequena caminhada é um exercício diário aconselhável para maioria das pessoas. Quando for preciso ficar em pé durante muito tempo, faça isso apoiando o pé da frente em um suporte mais elevado ou mudar de um pé para outro.



ABAIXAR-SE E ERGUER PESOS: Para abaixar, sempre se inclinar nos quadris e joelhos (em lugar das costas). Erguer pesos grandes e pesados deve ser evitado.



Gravidez e ginástica:



É incontestável o fato de que as mulheres que praticam alguma atividade física durante a gravidez (se não tiverem nenhum tipo de dor) se recuperam mais rapidamente depois do nascimento do que aquelas que passaram a gravidez menos ativa.



Confira algumas normas de procedimento propostas por Deborah Supino para mulheres que se exercitam durante a gravidez:



1. Movimentos e atividades aos trancos, de saltos, com impactos devem ser evitados;



2. Sessões de exercícios regulares (pelo menos três vezes por semana) são mais seguros;



3. Realizar um cuidadoso aquecimento antes do exercício vigoroso, que deve sempre ser seguido de um resfriamento;



4. Deve-se ingerir líquido antes, durante e depois da atividade para evitar desidratação;



5. Quem não está acostumada a realizar atividades normalmente deve começar por alguma atividade de baixa intensidade como, por exemplo, caminhada, natação, bicicleta estacionária ou ioga;



6. Qualquer atividade deve ter autorização de seu médico.



*Atividades não indicadas: esportes competitivos e de contato, cavalgar, esquiar (na neve ou esqui-aquático) e mergulho.



A fisioterapeuta ainda alerta que a mulher deve reconhecer em seu próprio corpo a sensação de conforto e bem-estar ou de esforço e fadiga. “As atividades devem ser interrompidas antes e não depois que causem dor, e a causa deve ser buscada retrospectivamente, a fim de evitar que ela se repita”, diz.



“Com os exercícios para manutenção da postura, prevenção à dor e exercícios de alivio às dores já pré-existentes, é possível manter uma boa autoestima e também desfrutar desses nove meses tão mágicos e tão únicos na vida de uma mulher e nova mãe”.



Veja mais sobre o assunto em nossa coluna de Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas