Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

07/08/2006
O que é Ansiedade?

De maneira sintética, a ansiedade pode ser definida como um estado emocional que ocorre na eminência de uma situação de perigo. A ansiedade é portanto o nome dado a resposta emocional ocorrida diante de uma situação de emergência em que a pessoa precisa reagir rapidamente e com muita eficiência.

Deste modo, compreendemos que a ansiedade pode trazer benefícios pois faz parte de um conjunto de respostas do organismo que o habilita para ações e reações comportamentais e motoras diante de perigo ou ameaça, livrando-nos então de situação tão negativa. Entretanto, o problema estará no momento em que esta emoção é percebida sem motivos aparentes ou reais ou quando a ansiedade ocorre de maneira desproporcional ao estímulo que a originou.

Não cabe por isso falar em ansiedade boa ou ansiedade ruim, devemos ter claro que a ansiedade é uma emoção e que não deve ser valorizada, mas compreendida em relação ao contexto que surge e as condições de vida e repertório comportamental do indivíduo que a apresenta.

Se as sensações ansiosas são freqüentes ou em nível muito elevado em situações consideradas simples pela maioria das pessoas, devemos observar nossos comportamentos e procurar ajuda especializada para que o comprometimento não aumente e passe a impedir que façamos nossas atividades do dia-a-dia.

É comum usarmos o termo ansiedade quando percebemos outras reações como boca seca, taquicardia, arrepios de frio, ondas de calor, tremores, inquietação, irritação entre outros, o que nos leva a considerar que estamos ansiosos em muitas ocasiões. Na realidade o diagnóstico e definição de ansiedade são difíceis por conta da subjetividade necessária envolvida na análise, ou seja, quem analisa os ‘sintomas’ ou reações deve analisar a situação e as condições que aparecem para então considerar se há ou não algo de errado, se há ou não exagero e/ou a ansiedade é ‘desnecessária’ naquela situação.

Em caso positivo, o nível e condições que a ansiedade se apresenta serão indicadores para o diagnóstico de diferentes tipos de transtornos ansiosos, dos quais podemos citar alguns dos mais conhecidos: Fobia Social, Transtorno do Pânico, Agorafobia, Transtorno de Ansiedade Generalizada e o Transtorno Obsessivo-Compulsivo.

É importante saber, no entanto, que algumas condições médicas ou doenças podem apresentar ansiedade como sintoma, desaparecendo com o tratamento desta doença originária, como alguns tipos de doenças endócrinas como o hipotireoidismo, a tensão pré-menstrual, insuficiência cardíaca, asma brônquica, lúpus e tumores cerebrais.

Além das manifestações acima citadas relacionadas a ansiedade, temos um comportamente bastante comum em nossa sociedade atual que é a expressão de raiva, por sua vez ligada aos comportamentos agressivos e violentos.

A ansiedade pode surgir não só na presença de perigo, ou na eminência de uma ameaça como dito acima, mas também quando perdemos repentinamente algo que nos era muito proveitoso ou positivo, daí compreendermos a manifestação do Transtorno de Estresse pós-traumático correlacionado à ansiedade. A perda de algo significativo e em alguns casos fundamental em nossas vidas pode gerar ansiedade, como é o caso de acidentes com danos físicos pessoais, a perda do emprego ou o fim de um relacionamento afetivo.

Há portanto muito sobre a ansiedade para conhecermos já que pode comprometer nossa vida cotidiana, se exagerada ou ocorrer em momentos ‘inadequados’. Algumas maneiras ou dicas para lidarmos com a ansiedade em nosso dia-a-dia serão discutidos no próximo mês e posteriormente buscaremos relacionar a ansiedade e atividade física e esporte, já que muitas vezes é a ansiedade a grande vilã por uma má atuação em campo ou nas quadras, piscinas e pistas, seja por ter sido muito elevada, seja por estar totalmente ausente, levando a uma participação esportiva apática e sem emoção. O segredo é encontrarmos o ponto de equilíbrio... o caminho do meio!

* Parte das informações aqui apresentadas foram baseadas no livro Psiquiatria Básica organizado por Louzã Neto e outros.

Por Marisa Markunas
Psicóloga Esportiva





Mais Matérias

Veja mais

15/08/2014 - Como fazer amizade com seu despertador?


15/08/2014 - Mudança brusca de temperatura é gatilho para a enxaqueca!


07/08/2014 - Quer dormir melhor, aprimorar sua memória, gastar mais calorias, aumentar sua imunidade? Faça sexo!


07/08/2014 - 7 Passos para Evitar o Refluxo


29/07/2014 - Dicas e Cuidados Antes de fazer uma Tatuagem




Clique aqui e veja todas as matérias

Como você costuma se preparar para o verão?

Fazendo dieta
Com tratamentos estéticos
Começando ou intensificando os exercícios
Não mudo nada minha rotina



:: Resultado Parcial