Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

11/02/2011
Praticantes de atividades físicas estão mais expostos aos fungos causadores da micose de unha

As micoses são doenças causadas por fungos e podem ser divididas em superficiais e profundas. Superficiais são aquelas em que o fungo se localiza sobre a pele ou ao redor dos pêlos, ou ainda se os fungos penetram apenas na camada externa da epiderme, a camada córnea, ou nas raízes dos pêlos e das unhas.

Já nas micoses profundas, os parasitas podem infectar a pele e os órgãos internos, como os pulmões, intestino, ossos, sistema nervosos e outros.

Ao penetrar no organismo o fungo se dissemina, por via linfática ou sangüínea.

As micoses profundas são obviamente muito mais graves que as superficiais e apresentam aspectos de incidência particulares. Alguns tipos são encontrados em todas as partes do mundo e há outras formas, como a Blastomicose, com mais freqüência de aparecimento na América do Sul.

As micoses superficiais são divididas em 2 grupos:

Aquele que se localiza na superfície da pele e pêlos, os fungos retiram sua alimentação de restos epiteliais ou de secreções.

O outro grupo é constituído por doenças denominadas Dermatomicoses e Dermatofitoses.

As Dermatomicoses são causadas por fungos específicos dotados de uma enzima especial que pode transformar a queratina em alimento. A queratina é a principal substância constituinte da camada córnea da epiderme, dos pêlos e unhas.

Já as Dermatofitoses são cauda por fungos Dermatófitos, classificados em 3 gêneros:

Tricófitos, Microsporos e Epidermófitos.

A micose de couro cabeludo apresenta-se como uma área arredondada com menos cabelos, descamação e coceira. Compromete mais as crianças, é contagiosa e se manifesta em ambientes comunitários.

O tratamento é sistêmico, via oral, feito por médico especialista.

A micose de pé é bastante comum, causando lesões como bolhas, descamação e intertrigo. A frieira é a forma clínica de pé-de-atleta, ou dermatofitose. As lesões de frieira localizam-se entre os artelhos, sendo pruriginosas, podendo ser provocadas por Dermatófitos do gênero Trichophyton ou pela Candica albicans.

A micose de unha é de difícil e longo tratamento, porque o fungo se adapta muito bem às unhas dos pés, provocando o engrossamento, amarelamento e descamação das unhas.

Para evitar a contaminação você precisa:

* Manter o corpo limpo e seco, especialmente pés, mãos e reentrâncias.

* Evite andar descalço em áreas de uso comum, como clubes e academias

* Usar semanalmente talcos e loções secativas contendo agentes anti-sépticos, como Triclosan, Triclorocarban,Capriloil glicina,Óleo essencial de Melaleuca e Timol.

* Evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como alicates de unha, escovas e pentes, buchas e esponjas de banho.

Micose de unha

A onicomicose, mais conhecida como micose de unha, surge de forma silenciosa e afeta homens e mulheres, sendo que atletas profissionais, amadores e até mesmo frequentadores de academias podem estar mais expostos à doença. Causada por fungos, a micose de unha é mais frequente nos pés e exige tratamento específico, que deve ser realizado por períodos prolongados, que podem chegar a um ano no caso das unhas dos pés e a seis meses no caso das mãos.

A prática de atividades físicas pode favorecer o surgimento da micose nas unhas devido a diversos fatores. “Durante a prática de esportes, os sapatos fechados e o suor dos pés criam um ambiente favorável à proliferação dos fungos causadores da micose. Como forma de prevenção, é importante alternar o uso de diferentes calçados e, quando perceber algum tipo de deformidade nas unhas, deve-se buscar a ajuda de um dermatologista, que é quem pode reconhecer a micose e indicar o tratamento adequado”, diz a dermatologista Luciana Godoi. A dermatologista também alerta para fato de que atividades na água deixam as unhas úmidas e mais suscetíveis à penetração dos fungos.

Apesar de inicialmente assintomática, a micose de unha pode gerar grande desconforto se não for tratada da forma adequada e preferencialmente no início. O tratamento da onicomicose é mais complexo e demorado que o da micose na pele, pois como os fungos ficam alojados embaixo das unhas, a penetração do medicamento é mais difícil e cremes ou pomadas não são eficazes. O tratamento tópico com esmalte terapêutico é o único que atinge o foco da doença e elimina os fungos com eficiência.

Para quem pratica esportes regularmente existem opções específicas para o tratamento da micose de unha, como o esmalte, que combate com eficiência o fungo causador da doença e é o único que permite a aplicação de esmaltes cosméticos durante o tratamento. O esmalte facilita a adesão ao tratamento, pois é necessária apenas uma aplicação por semana durante o período indicado, uma vez que o produto mantém sua eficácia por um período maior. Além disso, ele já vem em uma quantidade suficiente para tratar até três unhas durante seis meses, o que também auxilia na continuidade do tratamento.

“A onicomicose, se não tratada corretamente, pode voltar a se manifestar, mesmo quando a unha não apresenta mais sinais externos da doença. A erradicação do fungo é mais demorada do que a melhoria da aparência da unha, por isso é importante seguir corretamente a indicação médica e não abandonar o tratamento aos primeiros sinais de melhora”, reforça a Dra. Luciana.





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas