Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

13/05/2011
Tratamento adequado evita recidiva da micose de unha

As micoses são doenças causadas por fungos e podem ser divididas em superficiais e profundas. Superficiais são aquelas em que o fungo se localiza sobre a pele ou ao redor dos pêlos, ou ainda se os fungos penetram apenas na camada externa da epiderme, a camada córnea, ou nas raízes dos pêlos e das unhas.

Já nas micoses profundas, os parasitas podem infectar a pele e os órgãos internos, como os pulmões, intestino, ossos, sistema nervosos e outros.

Micose de unha

A onicomicose, mais conhecida como micose de unha, surge de forma silenciosa e afeta homens e mulheres, sendo que atletas profissionais, amadores e até mesmo frequentadores de academias podem estar mais expostos à doença. Causada por fungos, a micose de unha é mais frequente nos pés e exige tratamento específico, que deve ser realizado por períodos prolongados, que podem chegar a um ano no caso das unhas dos pés e a seis meses no caso das mãos.

A prática de atividades físicas pode favorecer o surgimento da micose nas unhas devido a diversos fatores. “Durante a prática de esportes, os sapatos fechados e o suor dos pés criam um ambiente favorável à proliferação dos fungos causadores da micose. Como forma de prevenção, é importante alternar o uso de diferentes calçados e, quando perceber algum tipo de deformidade nas unhas, deve-se buscar a ajuda de um dermatologista, que é quem pode reconhecer a micose e indicar o tratamento adequado”, diz a dermatologista Luciana Godoi. A dermatologista também alerta para fato de que atividades na água deixam as unhas úmidas e mais suscetíveis à penetração dos fungos.

A micose de unha é um tipo de infecção causada por fungos que afeta aproximadamente 20% da população brasileira e pode incomodar muito se não for tratada corretamente. Praticamente assintomática, a doença é percebida por provocar deformidades. Como o crescimento da unha é lento, o tratamento deve ser feito por um longo período: em média 12 meses para unhas dos pés e seis meses para unhas das mãos.

O dermatologista Nilton Di Chiacchio, alerta para o fato de que pomadas ou loções utilizadas para tratar micose de pele não são eficientes nas unhas. Segundo o especialista, o único tratamento tópico capaz de penetrar nas camadas da unha é o esmalte terapêutico, que deve ser associado ou não a medicamentos orais, dependendo do grau de acometimento da unha.

No Brasil já está disponível o esmalte terapêutico com amorolfina, uma substância internacionalmente conhecida e de eficácia comprovada que traz mais conforto ao paciente. A amorolfina exige apenas uma aplicação semanal e permite que a unha seja pintada com esmaltes cosméticos sem prejudicar a ação do medicamento.

Durante o tratamento da micose de unha, alguns cuidados devem ser tomados para evitar a transmissão da doença e até mesmo a recontaminação. “Se uma pessoa tem micose, mesmo estando em tratamento, o sapato fica contaminado e o fungo tem condições de se proliferar, por isso é importante não usar o mesmo sapato sem fazer a higiene adequada”, ressalta o Dr. Nilton Di Chiacchio.

De acordo com o dermatologista, algumas pessoas têm uma deficiência imunológica específica contra fungos e estão mais predispostas a manifestarem a doença. Nesses casos, a reincidência da doença pode dificultar a adesão ao tratamento. “Quando o paciente segue a orientação do especialista e realiza o tratamento adequado pelo tempo recomendado, a cura é garantida. No entanto, algumas pessoas acabam não dando sequência aos cuidados, o que atrapalha os resultados”, explica.

Apesar de inicialmente assintomática, a micose de unha pode gerar grande desconforto se não for tratada da forma adequada e preferencialmente no início. O tratamento da onicomicose é mais complexo e demorado que o da micose na pele, pois como os fungos ficam alojados embaixo das unhas, a penetração do medicamento é mais difícil e cremes ou pomadas não são eficazes. O tratamento tópico com esmalte terapêutico é o único que atinge o foco da doença e elimina os fungos com eficiência.

Veja mais sobre o dermatologia em nossas colunas de Pele Saudável com Dra. Katia Volpe Fogolin





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas