Saúde
Colunistas
Artigos dos colunistas      Teste do Cochilo      Teste Saúde Digestiva      Entrevistas      Descubra seu tipo de Relacionamento

25/09/2011
Ó joelhos!

Quantas vezes não ouvimos que alguém está com um problema ou no mínimo sentiu o joelho? Seja no futebol, na academia, ou até nas atividades do dia-a-dia quando por exemplo as pessoas correm para "pegar" um ônibus ou metrô.

O joelho é a articulação mais complexa do corpo humano, sendo composto por três ossos (fêmur, tíbia e patela), meniscos, ligamentos estabilizadores, músculos, tendões e bursa.

É capaz de movimentos de flexão, extensão e alguma rotação interna e externa. Por isso, sofre mais estresse que qualquer outra articulação, suporta a maior parte do peso corporal em cada passo e sendo solicitado a cada movimento de dobrar e torcer – como acontece para sentar e levantar, subir ou descer escadas, entrar e sair do carro. Devido à sua localização anatômica, é particularmente vulnerável a traumas, especialmente nos esportes.

Na prática, assim como nas atividades profissionais que requeiram repetição constante de movimentos, podem ocorrer lesões por uso excessivo (over use, em inglês): processos inflamatórios que podem acometer os tendões, bursa e outras estruturas anatômicas.

As mulheres constituem um grupo onde são comuns os problemas nas articulações entre a patela e o fêmur – por exercícios repetidos – causando dor, crepitação e inchaço.

Como a população masculina é mais engajada na prática do futebol, as lesões dos ligamentos e meniscos em geral comprometem mais os homens. Entretanto, a tendência de maior participação feminina em esportes tem aumentado também o número de lesões ligamentares nas mulheres.

As mudanças de direção, arrancadas ou freadas rápidas durante a corrida e saltos são as causas mais comuns de lesões no ligamento cruzado anterior (LCA). Por isso, na prática do tênis, sem uso de calçados adequados, estão suscetíveis às lesões de ligamento. Esta lesão produz principalmente falseamento, ou seja, movimentos anormais bruscos e incontroláveis; já as lesões de menisco produzem dor, inchaços e travamentos.

Nem toda lesão sofrida pelo joelho necessita, obrigatoriamente, ser tratada com cirurgia: muitas são possíveis de tratar com fisioterapia – aplicação de gelo e exercícios logo que possível, a fim de evitar atrofias musculares. O repouso também deve ser usado para evitar sobrecarga na articulação.

Como sempre falamos em prevenção, vai como uma dica simples realizar exercícios de propriocepção (receptores de equilíbrio ou a percepção que temos de nós mesmos): colocar duas almofadas e se equilibrar em uma perna só. Desta forma, trabalhamos vários músculos do joelho e tornozelo, além do próprio equilíbrio.

Pode-se realizar o mesmo exercício de olhos fechados e ainda deslocar o peso corporal em várias direções.


Veja mais sobre o assunto em nossa coluna de Ortopedia e Saúde com Dr. Roberto Ranzini





Mais Matérias

Veja mais

26/09/2016 - Convulsão: doença ou sintoma?


16/05/2016 - 10 motivos para cuidar de seus pés


16/05/2016 - Falta de Vitamina D afeta a fertilidade!


29/03/2016 - Perda de audição pode começar logo na infância!


29/03/2016 - Quando o cansaço pode acusar que a saúde não vai bem?




Clique aqui e veja todas as matérias

Encontre os melhores preços de medicamentos e leia bulas