Novidades
Cuidados para evitar a Hipertermia em idosos no verão


Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia alerta e orienta sobre os riscos das altas temperaturas à saúde


As altas temperaturas características do verão requerem cuidados aos idosos devido ao risco de hipertermia, que ocorre quando a temperatura do corpo fica acima de 37,4 graus Celsius. A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) dá dicas para prevenção do problema que em algumas condições recebe nomes como insolação, internação ou choque pelo calor.

A temperatura regular do corpo é em torno de 36 graus Celsius. Quando há uma elevação, o organismo utiliza várias estratégias para resfria-lo, como o suor. “Se a pessoa ficar muito tempo no sol e não tomar líquidos suficientes, o processo de resfriamento do corpo pode não funcionar corretamente. Então, o corpo se desidratada, não ocorre a sudorese, e assim a temperatura pode aumentar, causando sérios riscos à saúde do idoso”, alerta Rubens de Fraga Júnior, geriatra e membro da diretoria da Sociedade.

Os sintomas de alerta para a hipertermia estão classificados como dores abdominais, contraturas musculares – câimbras, vômito, dor de cabeça, tontura, fraqueza, excesso ou falta de suor, sintomas neurológicos como irritabilidade, alucinações, delírios, convulsões e coma.

“Quando as pessoas envelhecem o seu corpo pode diminuir a capacidade de se adaptar ao calor. Algumas doenças podem piorar no tempo quente. E algumas medicações podem reduzir a habilidade do corpo de responder ao calor. Muitos casos de insolação podem ser prevenidos com simples cuidados”, explica Rubens.

Fatores que antecedem a hipertemia e podem agravá-la são doenças pré existentes como insuficiência cardíaca congestiva, diabetes, enfisema, asma, demências ou comprometimentos da cognição. Além disso, certas medicações podem causar desidratação e alterar a resposta ao calor de órgãos como coração, vasos sanguíneos, e glândulas do suor, sobrepeso ou obesidade, ingestão de bebidas alcoólicas e desidratação prévia, alterações de pele como diminuição da circulação de vasos sanguíneos ou de glândulas sudoríparas.

Muitos idosos fazem da exposição ao sol, fonte de reposição de vitamina D, responsável pela suplementação do cálcio, mas esta ação deve ser feita com cautela e atenção. “O tempo ideal é entre 5 a 10 minutos em braços e pernas e nos horários recomendados. Entre 10h e 14h, a exposição é contra indicada pelos dermatologistas pelo risco de câncer de pele”, recomenda o geriatra.

Na alimentação, comer pouco e várias vezes ao dia auxilia na digestão e deve ser intercalada com a ingestão de 8 a 10 copos de água. Para prevenir a desidratação, a água de coco é uma boa fonte de nutrientes.

Em altas temperaturas, as proteínas do corpo, bem como membranas celulares e enzimas (especialmente na região do cérebro), podem ser destruídas ou apresentar um mal funcionamento. Quando o calor do ambiente é extremo, afeta os órgãos internos e causa lesões no coração, nas células musculares, vasos sanguíneos, o que ao prejudicar os órgãos internos pode levar a pessoa a morte.

Se houver suspeita de alguma doença relacionado ao calor (hipertermia, insolação, intermação ou choque pelo calor), as recomendações são mover a pessoa para um lugar fresco, de preferência com ar condicionado; deita-la para que repouse, remover roupas apertadas e desconfortáveis; Oferecer água se a pessoa estiver consciente e procurar imediatamente ajuda médica o mais rápido possível.


No verão, é importante que o idoso:

• Beba grande quantidade de água durante todo o dia
• Procure abrigo em lugares cobertos ou em áreas que possuam ar condicionado
• Vista-se com roupas leves e de cor clara
• Evite atividades extenuantes na parte mais quente do dia (entre as 10 da manhã e as 16 horas)
• Use filtro solar, chapéu ou boné ao sair no sol
• Evite tomar cafeína e álcool, pois são bebidas que contribuem para desidratação
• Se sentir cansaço, náuseas, tonturas, ou desenvolver dores de cabeça, saia IMEDIATAMENTE do sol, procurando abrigar-se numa sombra, local arejado e procure beber bastante água.




Veja mais sobre SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E NUTRIÇÃO em nossas colunas de:

1) Cardiologia do Esporte com Dr. Nabil Ghorayeb

2) Em forma com Pilates com Profa. Danielle Rotondo

3) Dicas de Atividade Física, com José Carlos Altieri

4) Corrida, com Emerson Vilela

5) Qualidade de Vida, com Profa. Priscilla de Arruda Camargo

6) Cuide da Saúde com Exercícios, com Prof. Dr. Marco Uchida

7) Ortopedia e Saúde com Dr. Roberto Ranzini

8) Saúde Feminina com Prof. Dr. Mauricio Simões Abrão

9) A Gestante na Sua Melhor Forma, com Profa. Ms. Gizele Monteiro

10) Atividade Física e Musculação com Prof. Amauri Altieri

11) Aparelho Digestivo e Saúde com Dr. Sidney Klajner

12) Alimentos sem Segredos com Rosamaria Da Ré

12) Nutrição com Dra. Rosana Farah

13) Por Dentro dos Alimentos com Dra. Nicole Valente

14) Nutrição e Pediatria com Dr. Mauro Fisberg

15) Endocrinologia e Saúde com Dr. Filippo Pedrinola

16) Fitoterapia com Dra. Vanderli Marchiori







Veja mais

Apenas 10% dos portadores de hepatites B e C são diagnosticados no Brasil

1 em cada 10 casais brasileiros são inférteis!

Hora do Mamaço, Dia 02/08, em São Paulo, veja aqui!

Saiba quais os quesitos necessários para manter a saúde dos pés com diabetes

Estado libera R$ 3 mi à Santa Casa, mas exige auditoria em contas



Clique aqui e veja todas as matérias

Como você costuma se preparar para o verão?

Fazendo dieta
Com tratamentos estéticos
Começando ou intensificando os exercícios
Não mudo nada minha rotina



:: Resultado Parcial